Home Matérias / Concurso Certificações Conhecimentos Básicos de Computação e Microinformática – Comandos MS-DOS


Neste tutorial serão tratados alguns comandos principais do Sistema Operacional (S.O.) MS-DOS, bem como suas funcionalidades e sintaxes. Serão vistos as definições de comandos internos e externos, bem como suas diferenças e aplicações.

 

Comandos e Sintaxes

 

O termo comando quer dizer palavras-chaves pré-definidas, que tem como principal finalidade dar uma ordem de procedimentos ao sistema operacional, com intuito que ele realize a tarefa ou a função desejada.

 

Exemplo:

 

O comando DIR muito utilizado para visualizar o conteúdo de um diretório e seus respectivos subdiretórios.

 

O termo sintaxe é o modo correto e adequado de formalizar o comando para que o sistema compreenda perfeitamente o que se pode, ou seja, é a forma correta de se solicitar a tarefa ao Sistema Operacional (S.O.), obtendo desta forma a resposta adequada e que se espera do comando efetuado.

 

Exemplo:

 

Para visualizar o conteúdo do driver “A” digita-se na linha de comando do MS-DOS:

 

DIR A: <enter>

 

COMANDOS INTERNOS E EXTERNOS

 

O Sistema Operacional (S.O.) MS-DOS, dispõe de dois tipos de comandos: Os comandos internos e os comandos externos.

 

COMANDOS INTERNOS

 

São definidos como comando interno os que estão alocados internamente na memória RAM do computador, quando o mesmo é carregado.

 

Sua utilização é baseada em algumas tarefas comuns, tais como visualização do conteúdo de diretório, a criação de diretórios, a cópia de um arquivo, etc.

 

Cada comando efetuado desempenha uma função diferente, porém cada um com seu nível de importância.

 

Alguns exemplos de comandos internos:

 

DIR – Utilizado para visualização do conteúdo de um diretório ou subdiretório.

 

CD – Usado para alternar ou mudar de um diretório ou subdiretório para outro.

 

CLS – Comando interno utilizado para limpar a tela da linha de comando do computador.

 

EXIT – Este comando sai do ambiente DOS e retorna para o programa que iniciou o MS-DOS.

 

MD – É utilizado para criar um diretório ou subdiretório.

 

RD – Este comando é usado para excluir um diretório/subdiretório existente.

 

COPY – É usado para copiar arquivos.

 

REN – Usado para renomear arquivos.

 

DEL – Utilizado para excluir arquivos.

 

COMANDOS EXTERNOS

 

São comandos gravados na forma de arquivos, no diretório do sistema (mais comumente no diretório do MS-DOS), é utilizado para executar tarefas específicas. Tem que se tomar o máximo de cuidado possível com estes comandos, por serem físicos, podem ser acessados pelo usuário e qualquer alteração no mesmo (renomeação, exclusão/inclusão de dados no arquivo) poderá desconfigurar a finalidade para qual o arquivo foi feito ou desenvolvido.

 

Geralmente os comandos externos do MS-DOS possuem a extensão (.COM).

 

Alguns exemplos de comandos externos:

 

DISKCOPY – utilizado para gerar cópias de discos flexíveis (disquetes), este comando faz uma busca completa no disco e copia, fielmente, todo o seu conteúdo.

 

Sua sintaxe: DISKCOPY (Y:) (X:), sendo Y o driver de origem e X o driver de destino.

 

BACKUP – É usado para gerar cópia de segurança de um ou mais arquivos em um disco flexível. As cópias de segurança que são geradas por este comando só podem ser deletadas ou apagadas se os arquivos copiados forem antes restaurados ao seu estado original.

 

RESTORE – É usado para restaurar as cópias de segurança, geradas através do comando BACKUP, ao seu estado original.

 

UNDELETE – É usado para recuperar arquivos excluídos. Este comando é de grande importância, pois, caso ocorra a deleção de um arquivo por acidente ou por outros motivos, o mesmo poderá ser recuperado.

 

FORMAT – Este comando prepara um disco em branco para o armazenamento ou recebimento de dados, ou mesmo cria um disco em branco novo a partir de um disco usado.

O comando Format organiza o disco em trilhas e setores, que são as divisões do disco que está sendo formatado ou apagado.

 

O comando FORMAT deve ser muito bem usado, pois em caso de uso indevido, pode causar prejuízos na instalação do sistema operacional, parando o mesmo e prejudicando o bom funcionamento da estação de trabalho.

 

Todos os comandos que são usados com a função “apagar” ou “deletar”, os efeitos dos mesmos podem ser desagradáveis, por tanto, é necessário sempre um maior cuidado por parte do operador.

 

LISTAGEM ALGUNS COMANDOS DO MS-DOS

 

APPEND – Permite que os programas abram arquivos de dados em diretórios especificados, como se estes estivessem no diretório atual.

ASSING – Faz um redirecionamento das solicitações de operações em disco de uma unidade para outra.

ATTRIB – Mostra/exibe ou altera os atributos dos arquivos.

BREAK – Ativa ou desativa a verificação do comando CTRL+C

BUFFERS – Faz o alocamento de memória para um determinado número de buffers de disco no momento do boot do sistema.

CALL – Chama um programa de lote a partir de um outro programa de lote.

CD – Exibe o diretório atual.

CHCP – Exibe ou define o número da página de código ativa.

HDIR – Altera o diretório atual ou que esta sendo usado.

CHKDSK – Verifica um disco e exibe um relatório sobre seu status ou seu funcionamento.

CLS – Limpa a tela do MS-DOS do computador que está sendo executado.

COMMAND – Inicia uma nova versão do interpretador de comandos do MS-DOS.

COMP – Compara o conteúdo de dois arquivos ou lista de arquivos.

CTTY – Altera o dispositivo de terminal usado para controlar o sistema.

DATE – Exibe ou define a data do sistema operacional.

DBLSPACE – Cria ou configura discos com o sistema comprimido de armazenamento.

DEBUG – Executa o programa Debug, um programa de teste e utilitário de edição.

DEFRAG – Desfragmentador de discos que reorganiza arquivos em disco com a finalidade de otimizar a performance do sistema operacional.

DEL – Exclui um ou mais arquivos.

DELTREE – Apaga diretório inteiros com subdiretórios e arquivos.

DIR – Exibe uma lista de arquivos e subdiretórios em um diretório.

DISKCOMP – Compara o conteúdo de dois discos flexíveis.

DOSKEY – Edita linhas de comando, chama comandos do MS-DOS e cria macros.

ECHO – Exibe mensagens, ativa ou desativa a exibição de comandos.

EDIT – Inicia e Editor do MS-DOS, que cria e altera arquivos ASCII.

EDLIN – Inicia o Edilin, um editor de texto orientado por linhas.

ERASE – Exclui um ou mais arquivos.

EXIT – Sai do programa COMMAND.COM (interpretador de comandos).

EXPAND – Expande um ou mais arquivos compactados.

FASTOPEN – Diminui o tempo necessário para a abertura de arquivos e diretórios frequentemente utilizados.

FDISK – Configura o disco rígido para utilizar o MS-DOS.

FIND – Procura por uma seqüência de caracteres em um ou mais arquivos.

FOR – Executa um comando para cada arquivo em um conjunto de arquivos.

GOTO – Direciona o MS-DOS par uma linha nomeada em um programa de lote.

HELP – Fornece informações de socorro sobre os comandos MS-DOS.

IF – Realiza um processamento condicional em programas em lotes.

LABEL – Cria, altera ou exclui o nome de volume de um disco.

MD – Cria um diretório

MEM – Exibe a quantidade de memória utilizada e disponível no sistema.

MKDIR – Cria um diretório.

MODE – Configura um dispositivo do sistema.

MOVE – Move arquivos, renomeia arquivos e diretórios.

PATH – Exibe um caminho de pesquisa para arquivos executáveis.

PAUSE – Suspende a execução de um programa de lote e exibe uma mensagem.

RD – Remove (exclui) um diretório.

RECOVER – Recupera as informações de um disco defeituoso ou inválido.

REN – Renomeia um ou mais arquivos.

RENAME – Também executa o comando REN.

RESTORE – Restaura os arquivos de segurança gerados pelo comando BACKUP.

RMDIR – Remove (exclui) um diretório.

TIME – Exibe ou altera a hora do sistema.

TREE – Exibe graficamente a estrutura do diretório de uma unidade ou caminho.

TYPE – Exibe o conteúdo de um arquivo de texto.

UNDELETE – Recupera arquivos que tenham sido excluídos.

UNFORMAT – Restaura um disco apagado/deletado pelo comando FORMAT ou recuperado pelo comando RECOVER.

VER – Exibe a versão do MS-DOS.

VERIFY – Orienta o MS-DOS a verificar se os arquivos estão sendo gravados corretamente para um disco.

VOL – Exibe o nome de volume e o número de série do disco.

XCOPY – Copia arquivos (exceto arquivos de sistema e oculto) e árvores de diretórios.

Obs. A sintaxe de todos os comandos e operacionalidade podem ser vistos simplesmente digitando no console do MS-DOS o seguinte: C:comando/?.

 

* Exemplo – C:VOL/?, o sistema mostrará como aplicar o comando e as opções de funcionalidade.

Nesta quarta parte do tutorial, foi visto algumas características de comandos internos e externos do MS-DOS. Também obtivemos uma lista de alguns comandos externos que podem ser usados diariamente, quando necessário, ou mesmo em ocasiões específicas de soluções.

Fonte: http://www.juliobattisti.com.br/artigos/infoconc/informaticaconcursos004.asp

   

Leave a Reply

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.