Home Matérias / Concurso Português – Regência


A sintaxe de regência estuda as relações entre um nome ou um verbo e seus complementos. Há dois tipos de regência:

Regência nominal;

Regência verbal.

 

Regência nominal

Estuda as relações em que os nomes – substantivos, adjetivos e advérbio – exigem complemento para completar-lhes o sentido. Geralmente, essa relação entre o nome e seus complementos é estabelecida pela presença de preposição.

Exemplo:

Ele tem aversão à altura.

TR         Tr

Ficamos contentes por você.

TR             Tr

Os alunos votaram favoravelmente ao projeto.

TR                         Tr

Observação: Há nomes que admitem mais de uma preposição.

Exemplo:

Tenha amor a seus filhos.

Renato não morria de amor por Paula.

A seguir veremos a relação de alguns nomes e as suas preposições mais usuais:

Acostumado com, a. Alheio a.
Ansioso para, por. Apto a, para.
Contente com, por, de, em. Falta a, com, para com.
Inofensivo a, para. Preferível a, para.
Próximo a, de. Situado a, em, entre.

 

REGÊNCIA VERBAL

É o modo pelo qual o verbo se relaciona com os seus complementos.

Exemplo:

Todos criticaram a professora.

TR                Tr

Há verbos que admitem mais de uma regência:

Ela não esquecia as flores recebidas.

Ela não se esquecia das flores recebidas.

A seguir veremos a regência de alguns verbos:

 

ABDICAR

Pode significar renunciar, desistir. Pode ser um verbo intransitivo, transitivo direto ou transitivo indireto.

Exemplo:

O rei abdicou.

VI

Não abdicarei dos meus direitos.

VTI

 

AGRADAR

No sentido de contentar, satisfazer é transitivo indireto.

Exemplo:

O jogo não agradou ao técnico.

O convite não lhe agradou.

Observação: também é possível aparecer com objeto direto.

 

AGRADECER

Pode aparecer como transitivo direto, transitivo indireto e transitivo direto e indireto.

Exemplo:

Agradeci as flores.

VTD

Agradeci aos diretores.

VTI

Agradeci o presente ao amigo.

VTDI

 

ASPIRAR

Será transitivo direto quando significar sorver, respirar.

Exemplo:

Aspirou gás carbônico.

É transitivo indireto no sentido de almejar, pretender.

Exemplo:

Os trabalhadores aspiravam ao aumento salarial.

 

AJUDAR

Aparece como transitivo direto e transitivo direto e indireto.

Exemplo:

Ela ajudava a minha irmã.

VTD

Nós ajudávamos papai a limpar o quintal.

VTDI

 

ASSISTIR

Será transitivo direto quando significar prestar assistência, ajudar.

Exemplo:

O médico assistiu o pequeno garoto.

Será transitivo indireto quando significar presenciar, ver. Nesse sentido o verbo ASSISTIR não admite o uso dos pronomes LHE, LHES.

Exemplo:

Nós assistimos ao jogo da seleção.

Ele assistiu ao espetáculo.

Será transitivo indireto quando significar caber, pertencer.

Exemplo:

Assiste aos governantes o bem-estar social.

No sentido de morar, residir – pouco utilizado atualmente – será intransitivo.

Exemplo:

Ele assiste no Recife há muito tempo.

 

CHAMAR

Será transitivo direto no sentido de convidar, convocar.

Exemplo:

Nós chamamos todos os presentes.

No sentido denominar há 4 construções:

Chamaram -no trambiqueiro. à transitivo direto;

Chamaram -no de trambiqueiro. à transitivo direto;

Chamaram -lhe trambiqueiro. à transitivo indireto;

Chamaram -lhe de trambiqueiro. à transitivo indireto.

 

CUSTAR

No sentido de ser custoso, ser difícil será transitivo indireto.

Exemplo:

Custou ao governo aquela difícil meta.

No sentido de acarretar será transitivo direto e indireto.

Exemplo:

A insensatez custou-lhe os bens.

 

ESQUECER

LEMBRAR

Serão transitivos diretos se não forem pronominais.

Exemplo:

Esqueci o nome da rua.

Lembrei um caso antigo.

Serão transitivos indiretos se forem pronominais.

Exemplo:

Esqueci -me do nome da rua.

Lembrei -me de um caso antigo.

Transitivos indiretos quando aparecerem nos sentidos de cair no esquecimento e vir à lembrança.

Exemplo:

Esqueceram -me de alguns fatos marcantes (Eu esqueci de alguns fatos marcantes – frase equivalente)

 

OBEDECER

DESOBEDECER

São transitivos indiretos.

Exemplo:

O jogador desobedeceu ao regulamento.

Os juristas obedecem ao Código Civil.

 

PRECISAR

No sentido de marcar com precisão é transitivo direto.

Exemplo:

Ele precisou a hora e o local da consulta.

No sentido de necessitar é transitivo indireto.

Exemplo:

Nós precisamos de bons políticos.

 

PREFERIR

É um verbo transitivo direto e indireto.

Exemplo:

Preferia o computador ao notebook.

Preferia o vinho à cerveja.

 

CONCLUSÃO

Nesse tutorial vimos regência nominal e verbal. A regência nominal estuda as relações em que os nomes exigem complementos para completar-lhes o sentido. A regência verbal é o modo pelo qual o verbo se relaciona com seus complementos. Inclusive há verbos que aceitam mais de uma regência, tais como abdicar, agradecer, aspirar, ajudar, obedecer, precisar, preferir.

Espero ter alcançado o objetivo desse tutorial, que foi passar algum conhecimento do que vem a ser sintaxe de regência. Utilizamos uma linguagem clara e objetiva, com o intuito de ser mais uma fonte de estudo e aprendizagem para o público interessado em Português.

 

ABREVIAÇÕES UTILIZADAS

TR – Termo regente;

Tr – Termo regido;

VI – Verbo intransitivo;

VTD – Verbo transitivo direto;

VTI – Verbo transitivo indireto;

VTDI – Verbo transitivo direto e indireto.

Fonte: http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/josebferraz/regencia001.asp

   

Leave a Reply

This blog is kept spam free by WP-SpamFree.