Por muitos anos, certificações em tecnologia da informação (TI) têm sido debatidas por profissionais da área. Alguns acreditam que elas são a chave para um emprego ou um salário melhor, enquanto outros afirmam que elas só valem no papel.

Para alguns cargos técnicos, a certificação profissional é uma das principais exigências e pode fazer a diferença na hora da contratação. Segundo Todd Thibodeaus, presidente e CEO da CompTIA, os credenciados em determinadas áreas são mais valorizados no mercado de trabalho. Sua estimativa é de o especialista que passa por esse tipo de avaliação tem chances de aumentar em cerca de 15% o seu salário, comparado com os que não têm conhecimento atestado por alguma instituição reconhecida pela indústria.

A CompTIA é uma entidade internacional que promove programas de treinamento para 17 tipos de certificações profissionais para atendimento das demandas de fabricantes como Cisco, IBM, Oracle e Microsoft. Por ano, a instituição expede uma média de 230 mil credenciais para talentos de TI, desde iniciantes até experts.

Em visita recente ao Brasil, Thibodeaus informou à Computerworld que, só em 2012, a CompTIA emitiu um total de 394 certificações para profissionais de TI do País. A previsão para 2013 é de que sejam entregues 500 credencias, atestando conhecimento de especialistas em diversas tecnologias. Uma das razões do aumento é o investimento que a instituição está fazendo para oferecer cursos e avaliações em português.

Outro motivo é o crescimento dos investimentos em TI pelas companhias locais, que estão demandando mais talentos qualificados. Estudos da CompTIA confirmam que o Brasil tem um déficit de mais de 100 mil especialistas.

A chegada de novas tecnologias tende a elevar esse número, conforme constata o estudo recente sobre “Questões internacionais sobre adoção de tecnologia e força de trabalho”, realizado pela CompTIA ouvindo 1.256 executivos de TI de empresas ao redor do mundo, incluindo o Brasil.

Entre os entrevistados de empresas brasileiras, 97% disseram que planejam aumentar os gastos com novas tecnologias para ganhar mais agilidade nos negócios. Mais da metade das companhias ouvidas no País revelaram que vão adotar, por exemplo, soluções em nuvem em 2013.

Estão entre as prioridades dessas empresas os investimentos em segurança cibernética, armazenamento de dados e back-up; infraestrutura de rede; atualização de hardware e software; e automação de processos de negócios. Para atender essa demanda, 49% disseram que pretendem contratar novos funcionários de TI em 2013.

Escassez de talentos
O estudo da CompTIA aponta que a carência de talentos qualificados em TI continua sendo o grande desafio das empresas. Entre as entrevistadas no Brasil, 86% indicam lacunas em habilidades na área em sua organização.

“Em muitos casos, as lacunas de competências são uma parte natural da indústria de TI, devido à velocidade de inovação”, afirmou Terry Erdle, vice-presidente executivo de certificação da CompuTIA, durante sua passagem pelo Brasil.

Segundo o estudo, os profissionais e as empresas no Brasil estão respondendo à necessidade de mais habilidades, uma vez que 93% das organizações locais realizaram algum tipo de treinamento em TI nos últimos 12 meses.

De acordo com o relatório, a maioria das entrevistadas espera que as certificações em TI aumentem ao longo dos próximos dois anos. Quase três quartos dos executivos acreditam que é importante testar após o treinamento para confirmar os ganhos de conhecimento. Seis em cada dez pesquisados consideraram que a equipe credenciada é beneficiada por uma base comum de conhecimento.

Como escolher sua credencial
Para profissionais da área que estão em busca de certificação para colocar um tempero a mais em suas capacidades, há maneiras de estudar para as provas sem gastar muito ou até sem gastar nada.

Afinal, não há como negar. O investimento em cursos para estudar para exames de certificação é, muitas vezes, caro, observa Tim Warner, um veterano de 15 anos de TI, escritor e treinador no CBT Nuggets, especializada em treinamento de TI.

Existem inúmeras certificações profissionais no mercado e o investimento para obtenção é alto, como é o caso das exigidas pela SAP e as de segurança da informação emitidas pela Information Systems Audit and Control Association (Isaca).

Depois de frequentar aulas, você ainda tem de pagar para fazer os exames. “Em média, os preços da prova variam entre 150 dólares e 350 dólares, por tentativa”, diz Warner. “Alguns fornecedores de TI, como a Microsoft têm promoções que diminuem pela metade o custo de inscrição. Mas, de qualquer forma, pode ser caro para muitos profissionais”, ressalta.

Algumas empresas até ajudam o seu empregado a conquistar sua credencial, financiando parte ou até 100% dos gastos na obtenção do novo título. Mas segundo os especialistas isso não é regra. Tudo vai variar de acordo com a situação, projeto do momento e política de incentivo da companhia.

Há casos de prestadoras de serviços no Brasil, principalmente de outsourcing, que criaram cláusulas em contratos de clientes, estabelecendo cobrança de taxas, caso eles levem seus funcionários. Nesse caso, o dinheiro é revertido na qualificação de outros colaboradores.

Caroline Cadorin, gerente da área de TI da consultoria Hays, afirma que a certificação patrocinada pelos empregadores é considerada um fator de retenção. Ela constata que há a disposição das companhias em capacitar rapidamente talentos em determinada tecnologia.

Se sua empresa pode pagar por um curso de formação, fornecer materiais de estudo, ou oferecer outros recursos para obter certificações, não custa tentar. E mesmo que o empregador não pague, ele pode oferecer descontos e outras facilidades se for membro de uma organização que oferece tais benefícios.

Verifique  também os recursos que as organizações governamentais estão oferecendo. O programa do governo, Brasil Mais TI, oferece periodicamente cursos gratuitos para profissionais de TI. Dos 500 milhões de reais do governo federal destinados ao TI Maior, uma parcela de 1,4 milhão de reais foi direcionada para capacitação de jovens talentos. Esses novos profissionais receberão treinamento a distância pelo portal do programa.

Caroline Cadorin, da consultoria Hays , observa que as lacunas de conhecimento podem ser resolvidas em pouco tempo. Em 4 a 6 meses o profissional pode obter uma certificação. O mesmo não acontece com os que têm deficiência em inglês, informa a consultora, dizendo que o domínio desse idioma ainda é a maior pedra no sapato das empresas e dos talentos do setor, que precisam interagir com centros globais das organizações.

Por onde começar?
A consulta da Hays alerta ainda que, atualmente, há muitas credenciais no mercado e os profissionais devem ficar atentos para saber em qual vale apena investir para direcionar sua carreira.

Um dos termômetros para a escolha da certificação é verificar quais as tecnologias novas estão chegando ao mercado e que vão demandar especialistas. Os que se anteciparem terão chances de sair na frente. Caroline menciona como exemplo os novos ambientes de internet e banda larga, como é o caso das redes 4G, que acabaram se entrar em operação no País e que precisam de especialistas para sua expansão e manutenção.

Prova disso é a iniciativa da fabricante chinesa Huawei, em parceria com o Instituto Nacional de Telecomunicações (Inatel). Ela trouxe para o Brasil a academia Hana (Huawei Authorized Network Academy). O programa de certificação faz parte da estratégia global da companhia para aumentar o número de laboratórios técnicos voltados para tecnologia de ponta.

Os primeiros módulos ministrados no Brasil foram os referentes à rede de dados baseadas em Long Term Evolution (LTE) para entrega de serviços 4G. O certificado da Huawei foi desenvolvido há mais de dez anos pela matriz da empresa na China e, desde então, o programa é aplicado na Ásia, Oriente Médio, África e outras regiões.

“O Brasil ainda tem um grande déficit de mão de obra especializada nesse setor, que cresce em grande velocidade. A Huawei entende que o volume de profissionais especializados em TIC deve acompanhar o crescimento das telecomunicações no País”, afirma a vice-diretora de Learning Service da Huawei Brasil, Ana Paula Scallet Savioli.

Assim como a Huawei outras fabricantes estão trazendo para o Brasil academias para capacitação de talentos em cloud computing, mobilidade e Big Data. A HP anunciou no começo do ano o seu primeiro programa de certificação e treinamentos para soluções de Big Data para Vertica Analytics Platform. Disponível por meio do HP ExpertOne, o programa contribui para que as organizações capacitem profissionais a tirar maior proveito de dados estruturados, semiestruturados e não estruturados.

“As companhias gostariam de ter bons talentos e os profissionais capacitados vão valer ouro”, garante Caroline, enfatizando a importância de os talentos complementarem sua formação universitária com certificações que façam a diferença em sua carreira.

Cetifique-se sem gastar muito

Há formas simples, uma série de recursos livres e de baixo custo que podem ajudá-lo a estudar para realizar os exames de certificação. Veja abaixo.

1 – Verifique os recursos de sua escola
Se você está atualmente matriculado em um curso de TI, pode verificar se seu departamento acadêmico tem recursos disponíveis, como acesso gratuito a ferramentas de desenvolvimento de software, sistemas operacionais, bem como quaisquer descontos de computadores e hardware.

Aproveite as edições de software voltado para estudantes. E não se esqueça da biblioteca da escola, onde você pode encontrar guias de certificação de estudo ou outros recursos úteis.

2 – Assine o Safari Books Online
Esta biblioteca digital on demand oferece uma coleção de mais de 20 mil títulos de tecnologia, que incluem mídia digital e livros de desenvolvimento profissional e vídeos da O’Reilly Media, Addison-Wesley, Peachpit Press, Microsoft Press e muito mais.

O conteúdo é em inglês e você pode ler e assistir vídeos no computador ou tablet. Depois de um teste gratuito de dez dias ou mil visualizações de páginas, as taxas variam de 20 dólares a 43 dólares por mês ou 300 dólares a 473 dólares por ano.

3 – Junte-se à IEEE Computer Society
Dedicado ao ensino técnico e colaboração, esse braço do Instituto de Engenheiros Elétricos e Eletrônicos nos Estados Unidos oferece inúmeros recursos que você pode usar para estudar.

O site conta com mais de 600 livros online via Safari Books, 500 livros online da Element K e descontos em livros sobre TI. Também oferece 4,3 mil cursos online para muitas certificações técnicas e de negócios e exames de proficiência da Brainbench.

O site tem diferentes planos para assinantes, que variam de 49,50 dólares a 99 dólares (para profissionais), a 20 dólares a 40 dólares (para estudantes).

4 – Participe de fóruns de discussão online
Quem melhor para obter conselhos de estudo e aprovação no exame de certificação do que outros que já passaram por isso? Os participantes de fóruns de discussão muitas vezes compartilham exatamente o que eles acharam útil ao estudar e fornecem um feedback geral sobre o exame.

Mas lembre-se que as questões exatas, provavelmente, diferem em cada exame. Importante: obter ou publicar questões literais de exames geralmente é estritamente proibido por aqueles que aplicam os exames.

5 – Verifique se os fornecedores de TI oferecem recursos para certificação
A maioria dos fornecedores de certificação fornece pelo menos alguns recursos livres básicos no site que você pode usar quando estiver estudando. Embora você provavelmente não encontre profundidade em materiais livres, pode ter acesso a artigos, blogs, vídeos, webinars, fóruns de discussão e outros conteúdos que podem ajudar.

Por exemplo, a Cisco oferece o Cisco Learning Network, a Microsoft oferece o TechNet e o Microsoft Developer Network, a CompTIA o IT Pro Community e o CWNP provê acesso a recursos de aprendizagem sobre Wi-Fi.

Procure cursos online gratuitos de universidades
A tendência crescente das universidades, incluindo o Massachusetts Institute of Technology (MIT), é oferecer aulas gratuitas online sobre temas de tecnologia. Embora a maioria desses cursos não é focada especificamente em certificações de tecnologia, eles podem ajudar na aprendizagem de uma variedade de tópicos em TI. A Coursera, por exemplo, realiza parcerias com várias universidades para oferecer cursos de sistemas de computadores, segurança e networking.

Avalie com testes práticos
Não desperdice dinheiro para fazer um exame antes de estar pronto. Tire proveito de testes práticos para avaliar o que você sabe e o que precisa estudar mais. Apesar de as perguntas não serem as do exame real, elas devem cobrir temas semelhantes com base nos objetivos do exame.

Se você responder uma pergunta errada, tente compreender por qual razão a sua resposta está errada e as razões por trás da resposta correta. Uma rápida pesquisa no Google irá revelar muitos sites que oferecem esses testes, e você também pode encontrá-los em guias de estudo.

Fonte: http://computerworld.uol.com.br/carreira/2013/08/27/qual-a-importancia-da-certificacao-profissional-para-sua-carreira/

   
Similar articles