Plants vs. Zombies 2 é a sequência do premiado jogo de estratégia no estilo tower defense no qual o jogador deve utilizar plantas para impedir o avanço de zumbis. Para esta nova edição, que conta com versões para iPhone, iPod Touch e iPad, a PopCap Games não trouxe muitas mudanças na jogabilidade. As principais diferenças ficam por conta da história e do modelo Freemium, permitindo que o game seja jogado de graça.

Uma história maluca

A história de Plants vs. Zombies 2, assim como a do jogo anterior, não faz o menor sentido. Acompanhamos o personagem Dave Doidão e sua máquina do tempo, em busca de um taco, comida típica mexicana. Nessa viagem maluca ao passado o jogador terá que se aventurar por três “períodos” da história, Egito Antigo, Tempo dos Piratas e Velho Oeste, todos infestados de zumbis diferentes.

Mesma jogabilidade e mecânicas novas

O modo de operação do novo Plants vs. Zombies segue o do seu predecessor, de um lado temos o jardim e do outros as ondas de zumbis. No começo, o jogo é tão parecido com o anterior, que será bastante comum a pergunta “o que mudou?”.

Assim como o game anterior, o jogador deve posicionar as plantas de modo que elas protejam o seu lado da tela, evitando que os zumbis atravessem o campo. Parece simples, mas a estratégia começa quando a variedade de zumbis aumenta.

Entretanto, a PopCap garantiu algumas novidades para essa nova rodada de apocalipse zumbi “vegetariano”. A primeira dessas mudanças, diz respeito a como o jogador acessa o game. Agora há contas individuais onde cada jogador entra com seu nome e acessa seu “save”. Um mapa é apresentado e o jogador tem a oportunidade de escolher caminhos diferentes para avançar em sua campanha.

Plants vs. Zombies 2 introduz um sistema de conquistas com “estrelas”, assim como muitos outros jogos casuais. Para conseguir passar para o próximo período na história, o jogador terá que coletar muitas estrelas. Esse sistema se baseia em determinadas missões que o jogador deve cumprir durante as partidas, como por exemplo, evitar que os zumbis pisem em flores espalhadas pelo campo.

Pensado para ser um jogo no estilo “Free-to-Play”, Plants vs Zombies 2 adiciona a conexão entre dinheiro real e virtual. No game existem dois tipos de moedas: dourada e prateada. Essas moedas servem para comprar adubo e poderes que o jogador utiliza usando os dedos para matar zumbis em momentos de tensão.

O adubo ativa uma planta para realizar habilidades especiais, que são utilizados pelo próprio jogador. Elas ficam posicionadas na parte inferior da tela e cada um corresponde a um movimento, como o de pinça, que pode ser usado para cortar a cabeça dos zumbis.

Ao concluir a fase do Egito Antigo, o game dá ao jogador a opção de comprar o próximo bloco de fases, ou voltar para o início do jogo e tentar coletar 30 estrelas para poder continuar. O mesmo acontecerá nos blocos seguintes.

O fator “Freemium”

Provavelmente esse será um dos fatores mais polêmicos do jogo. De fato, é possível passar por todo o game sem gastar nenhum centavo, mas levará um bom tempo até o jogador conseguir concluir os três períodos da história. Poderes, adubos e plantas melhores só estão disponíveis através da compra, utilizando moeda virtual e na falta dela, dinheiro de verdade.

Embora o preço de algo que não existia seja bastante discutível, pode-se dizer que o pessoal da PopCap “pegou leve”. Não há compras no valor de 99 dólares como em outros jogos, mas algumas plantas são bastante caras, custando cerca de US$ 2,99.

Bem humorado e em português

Um dos destaques de Plants vs. Zombies 2 é o seu suporte total ao idioma português. Cheio de piadas, o jogo explica sua trama de forma bastante divertida. O suporte ao nosso idioma também ajuda a tornar o game mais acessível para o público infantil.

A história começa com um taco mexicano (Foto: Reprodução / Dario Coutinho) (Foto: A história começa com um taco mexicano (Foto: Reprodução / Dario Coutinho))
A história começa com um taco mexicano (Foto: Reprodução / Dario Coutinho)

O tutorial inicial e a demonstração de novas mecânicas com explicações em português são essenciais para poder entender e aproveitar ao máximo as habilidades de cada planta. Fazendo com que o jogador consiga montar melhor suas estratégias contra as hordas de zumbis.

Conclusão

Divertido, o estilo “free-to-play” do novo Plants vs Zombies passa no teste com poucas ressalvas. A jogabilidade precisa do original foi mantida, trazendo um sistema simples, funcional e divertido. As novas mecânicas como adubo e poderes promovem mais diversão, enquanto o fator replay e história deixarão o jogador grudado no jogo. Contudo, algumas opções de compra parecem desnecessariamente caras.

Fonte: http://www.techtudo.com.br/review/plants-vs-zombies-2/review-plants-vs-zombies-2-jogabilidade-intacta-e-sucesso-garantido.html

   
Similar articles